| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Stop wasting time looking for files and revisions. Connect your Gmail, DriveDropbox, and Slack accounts and in less than 2 minutes, Dokkio will automatically organize all your file attachments. Learn more and claim your free account.

View
 

faixas etárias

Page history last edited by PBworks 14 years, 1 month ago

__DEPRESSÃO: O MAL DO SÉCULO ATINGE TODAS AS IDADES__

Através das leituras e pesquisas realizadas no decorrer do desenvolvimento deste Projeto de Apendizagem, percebemos que a depressão é uma doença que atinge todas as idades, desde os mais pequenos até os mais velhos. Podemos destacar: a Depressão Infantil, a Depressão na Adolescência e a Depressão na Terceira Idade. Neste espaço vamos fazer algumas considerações sobre a Depressão Infantil.

O que será que está acontecendo com nossas crianças ?

Se olhamos em nossa volta, nos ambientes sociais comuns como nas ruas, nas feiras, porta de escolas, supermercados e shoppings, a freqüência com que vemos crianças agitadas,irritadas, chorando e gritando com seus familiares é cada vez mais crescente.

Se conversamos com mães, constatamos que é cada vez mais crescente o número de crianças com transtornos de sono, de apetite, enurese e terror noturno, manipulação dos genitais, tristeza e abatimento.

Se conversamos com professores, também é constante por um lado as queixas de agitação, irritabilidade, e por outro queixas de comportamento arredio, inibição, e insegurança, com prevalência em ambos os casos, da falta de concentração e desinteresse pela atividade escolar com conseqüente inibição da aprendizagem.

Será que estamos vivendo dentro de um estado quase epidêmico de incidência de Transtornos Infantis e não nos demos conta?

O que será que está acontecendo com nossas crianças?

Onde estão as raízes desta situação ?

O que fazer para ajudar essas crianças, seus pais e professores a encontrarem um caminho para resolução de suas dificuldades ?

 

O Transtorno Depressivo Infantil é um transtorno do humor capaz de comprometer o desenvolvimento da criança ou do adolescente e interferir com seu processo de maturidade psicológica e social. São diferentes as manifestações da depressão infantil e dos adultos, possivelmente devido ao processo de desenvolvimento que existem na infância e adolescência.

Embora na maioria das crianças a sintomatologia da Depressão seja atípica, alguns podem apresentar sintomas clássicos de Depressão, tais como tristeza, ansiedade, expectativa pessimista, mudanças no hábito alimentar e no sono ou, por outro lado, problemas físicos, como dores inespecíficas, fraqueza, tonturas, mal estar geral que não respondem ao tratamento médico habitual.

Na criança e adolescente a Depressão, em sua forma atípica, esconde verdadeiros sentimentos depressivos sob uma máscara de irritabilidade, de agressividade, hiperatividade e rebeldia. As crianças mais novas, devido a falta de habilidade para uma comunicação que demonstre seu verdadeiro estado emocional, também manifestam a Depressão atípica, notadamente com hiperatividade.

A depressão na criança e/ou adolescente pode ter início com perda de interesse pelas atividades que habitualmente eram interessantes, manifestando-se como uma espécie de aborrecimento constante diante dos jogos, brincadeiras, esportes, sair com os amigos, etc, além de apatia, adinamia e redução significativa da atividade. Às vezes pode haver tristeza.

De forma complementar aparece diminuição da atenção e da concentração, perda de confiança em si mesmo, sentimentos de inferioridade e baixa autoestima, idéias de culpa e inutilidade, tendência ao pessimismo, transtornos do sono e da alimentação e, dependendo da gravidade, ideação suicida.

 

SINAIS E SINTOMAS SUGESTIVOS DE DEPRESSÃO INFANTIL

  1. Mudanças de humor significativa
  2. Diminuição da atividade e do interesse
  3. Queda no rendimento escolar, perda da atenção
  4. Distúrbios do sono
  5. Aparecimento de condutas agressivas
  6. Auto-depreciação
  7. Perda de energia física e mental
  8. Queixas somáticas
  9. Fobia escolar
  10. Perda ou aumento de peso
  11. Cansaço matinal
  12. Aumento da sensibilidade (irritação ou choro fácil)
  13. Negativismo e Pessimismo
  14. Sentimento de rejeição
  15. Idéias mórbidas sobre a vida
  16. Enurese e encoprese (urina ou defeca na cama)
  17. Condutas anti-sociais e destrutivas
  18. Ansiedade e hipocondria

 

Não é obrigatório que a criança depressiva complete todos os itens da lista acima para se fazer o diagnóstico. Ela deve satisfazer um número suficientemente importante de itens para despertar a necessidade de atenção especializada. Dependendo da intensidade da Depressão, pode haver substancial desinteresse pelas atividades rotineiras, queda no rendimento escolar, diminuição da atenção e hipersensibilidade emocional. Surgem ainda preocupações típicas de adultos, tais como, a respeito da saúde e estabilidade dos pais, medo da separação e da morte e grande ansiedade.

 

DIAGNÓSTICO

 

O diagnóstico da Depressão na Infância tem sido feito em bases predominantemente clínicas, muitas vezes usando-se os mesmos critérios usados para a Depressão do adulto, apesar do quadro ser algo diferente nas crianças, tanto quanto mais jovem for o paciente.

É tão comum o Transtorno Depressivo na Infância e Adolescência, a ponto de alguns autores recomendarem que, sempre que a criança manifestar tais alterações por um tempo prolongado, deve-se considerar a possibilidade desse diagnóstico. Entretanto, é muito importante determinar se esses sintomas estão, de fato, relacionados com um quadro depressivo ou se são parte das ebulições emocionais normais do desenvolvimento.

E, tendo em mente o fato de ser possível que muitos sintomas incluídos na relação apareçam naturalmente como parte das etapas normais de desenvolvimento da infância e adolescência, para se estabelecer um diagnóstico correto de Depressão na criança é necessário avaliar também sua situação familiar, existencial, seu nível de maturidade emocional e, principalmente, sua autoestima. Além das entrevistas com a criança, é muito importante observar sua conduta segundo informações dos pais, professores e outros colegas médicos ou psicólogos, atribuindo pesos adequados a cada uma dessas informações.

Na fase pré-verbal a criança deprimida pode manifestar o humor rebaixado através de expressões mímicas e do comportamento. A inquietação, o retraimento social, choro freqüente, recusa alimentar, apatia e alterações do sono podem ser indícios de Depressão nesta fase.

Na fase pré-escolar as crianças podem somatizar o transtorno afetivo, o qual se manifestará através de dor abdominal, falta do ganho de peso, retardo no desenvolvimento físico esperado para a idade, além da fisionomia triste, irritabilidade, alteração do apetite, hiperatividade e medo inespecíficos.

Dos 2-3 anos até a idade escolar a Depressão Infantil pode se manifestar ainda com quadro de Ansiedade de Separação, onde existe sólida aderência da criança à figura de maior contacto (normalmente a mãe), ou até sinais sugestivos de regressão psicoemocional, como trejeitos mais atrasados da linguagem, encoprese e enurese.

O tratamento da Depressão Infantil é praticamente o mesmo que o do adolescente e do adulto, com o uso de antidepressivos, quando necessário, e psicoterapia, depende de cada caso.

 

voltar ao início da página

próxima página

voltar

página inicial

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.