| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Stop wasting time looking for files and revisions! Dokkio, a new product from the PBworks team, integrates and organizes your Drive, Dropbox, Box, Slack and Gmail files. Sign up for free.

View
 

Correremos riscos ao ignorar o estresse

Page history last edited by PBworks 13 years, 5 months ago

RISCOS AO IGNORAR O ESTRESSE

 

 

Enfermidades Causadas ou Agravadas pelo Distresse

 

Distúrbios de Ajustamento:

São sintomas e enfermidades relacionadas a doenças que se caracterizam por desaparecerem tão logo seja removida a causa que os determinou.

Síndrome do Alarme Geral:

A Síndrome do Alarme Geral citada por Curling e Billroth referente às úlceras agudas aparecidas em situações graves, é um fenômeno da mesma natureza das enfermidades crônicas relacionadas com situações de distresse.

As repercurssões de um estado de alerta crônico são inúmeras. Crianças vivenciando constante sobrecarga psicológica têm duas vezes mais probabilidade de ser menores do que deveriam para a sua idade.

O Estresse elevado, além de ser em si um fator de risco para as doenças do coração e das artérias, gera ou aumenta outros fatores de risco.

O estresse promove a retenção de sódio e uma perda de potássio do sangue, aumenta os níveis de colesterol, acelera a coaguabilidade do sangue, facilita a obesidade, a pressão arterial elevada, o ataque do coração, as arritmias cardíacas e até a morte súbita.

 

Tiques Nervosos:

Série de movimentos rápidos como:piscar os olhos, meneios de cabeça, elevação dos ombros, etc..., podem ser agravados no distresse.

 

Diabetes:

O distress eleva a quantidade de açúcar no sangue, normalmente há um retorno aos níveis básicos, tão logo a situação do distress desapareça. Porém, em pessoas com propensão a diabetes, assim como quem tem diabéticos na família, por exemplo, esta doença pode ser desencadeada, por uma situação de distresse e se estabelecer definitivamente, obrigando a pessoa a fazer dietas e tratamentos permanentes.

 

Arteriosclerose:

Lesões com espessamentos e endurecimentos localizados nas artérias de médio e grande porte que podem provocar ataques acardíacos, “derrames cerebrais”, gangrena dos membros e até a morte súbita de origem cardíaca.

 

Hipertensão Arterial:

A elevação da pressão arterial, um dos principais fatores causadores de ataques cardíacos é, em muito favorecida pelo distresse.

 

Ataque de Pânico:

Costuma apresentar-se subitamente como: sensação de medo, sensação de morte iminente, acompanhada por alguns dos seguintes sintomas:

Respiração curta, falta de ar, sensação de que a inspiração não é completa (dispinéia)

Sensação de sufoco

Palpitações ou freqüência cardíaca elevada ( taquicardia)

Desconforto ou dor no peito

Suores

Tonturas, sensações de instabilidade, receio de desmaiar

Náuseas ou desconforto abdominal]Amortecimento ou formigamento dos membros

Ondas de calor ou calafrios

Tremores

Medo de morrer. Medo de enlouquecer.

Os ataques de pânico muitas vezes são associados à “agarofobia”, que é o medo doentio de ficar sozinho ou estar em lugares públicos. Quem sofre ataques de pânico pode estar sofrendo de depressão.

 

Depressão:

Estado em que a pessoa é dominada pela tristeza imensa, desânimo.

Distúrbios de Ansiedade Generalizada:

É sensação de ansiedade, em que a pessoa sente-se permanentemente nervosa. Tal estado geralmente se apresenta com dores musculares e agressividade. A pessoa restringe suas atividades com receio de vir a ter um ataque de pânico.

Asma Alérgica:

Acredita-se que o estresse emocional influencia o tono dos brônquios tornando-os mais suscetíveis aos agentes irritantes e ao estímulo alérgico.

Cefaléia de Tensão:

Isso se deve a um aumento de tensão de músculos que permitem fazer o movimento do couro cabeludo, franzir a testa, etc.. que resultam em dor de cabeça.

Enxaquecas:

Acomete a pessoa em crises mais ou menos freqüentes ou intensas. Geralmente são dores latejantes que costumam afetar mais um lado da cabeça (hemicraniana). As crises costuma vir acompanhadas de náuseas e vômitos, intolerância ao barulho e luz, podem ser antecedidas de fenômenos oculares com visão turma ou o aparecimento de pontos cintilantes.

Dores Musculares:

As mais comuns são na nuca, ombro, braços e pernas. Ou Fibromialgia (exacerbado estado de contração muscular crônica, com dores quase simultâneas na nuca, pescoço, ombros, cotovelos, tórax, coluna, joelhos e pés).

Bulimia:

Aumento de apetite

Anorexia:

Perda do Apetite

Gastrite:

Inflamação da parede interna do estômago. Pode progredir para úlcera do estômago.

Úlcera do Estômago:

É evidente a reincidência de úlceras gástricas em casos de tensão emocional.

Câncer do Estômago:

Uma gastrite não tratada poderá causar uma lesão no estõmago, e caso esta persista cronicamente poderá degenerar num câncer do estômago.

Colite Ulcerativa:

Doença crônica de origem desconhecida, caracterizada por inflamação da parede interna do intestino groso que pode vir a ulcerar. Geralmente se manifesta com sangramento retal, diarréia, dores abdominais, perda de peso e febre.

Síndrome do Cólon Irritavel:

Costuma se manifestar com desconforto e dor abdominal, crises de diarréia se alternam com períodos de obstipação intestinal. É o distúrbio gastrointestinal mais comum das sociedades ocidentais, e as mulheres são as mais afetadas.

 

BIBLIOGRAFIA

Livro: Dose o Stress Tempere a vida

Autor: Cezar Zillig

Editora: EKO

 

Outros Sintomas

 

No campo clínico (somático) os distúrbios ainda ditos 'neuro-vegetativos' são comuns: quadro de astenia (sensação de fraqueza e fadiga), tensão muscular elevada com cãibras e formação de fibralgias musculares (nódulos dolorosos nos músculos dos ombros e das costas, por exemplo), tremores, sudorese (suor intenso), cefaléias tensionais (dores de cabeça provocas pela tensão psíquica) e enxaqueca, lombalgias e braquialgias (dores nas costas e nos ombros e braços), hipertensão arterial, palpitações e batedeiras, dores pré-cordiais, colopatias (distúrbios da absorção e da contração do intestino grosso) e até dores urinárias sem sinais de infecção.

O laboratório clínico fornece outros detalhes indicativos da intensa ativação patológica no estresse: aumento da concentração do sangue e do conteúdo de plaquetas (células responsáveis pela coagulação sangüínea), alteração do nível de cortisol, alterações de catecolaminas urinárias e alterações de hormônios hipofisários e sexuais, além dos aumentos de glicemia (açúcar no sangue) e colesterol, este por conta do LDL, ou o 'mau colesterol'."DR. VLADIMIR BERNIK, Médico psiquiatra (pela AMB/ABP e pelo CFM). Coordenador da Clínica de Estresse de S. Paulo - http://www.epub.org.br/cm/n03/doencas/stress.htm

 

Voltar ao Início da Página

 

Voltar ao Índice - Estresse

 

Tivemos visitas, nesta página.

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.