| 
  • This workspace has been inactive for over 11 months, and is scheduled to be reclaimed. Make an edit or click here to mark it as active.
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Introducing Dokkio, a new service from the creators of PBworks. Find and manage the files you've stored in Dropbox, Google Drive, Gmail, Slack, and more. Try it for free today.

View
 

ATIVIDADE INTEGRADA DOS PROAS 1, 2 e 10

Page history last edited by PBworks 12 years, 11 months ago

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

ESPECIALIZAÇÃO EM TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO

E DA COMUNICAÇÃO NA PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM

 

BEM-VINDOS AO PROJETO DE APRENDIZAGEM

 

DISTÚRBIOS EMOCIONAIS E NEUROLÓGICOS

 

GRUPO 05

 

Eloisa Helena Callai- São Luiz Gonzaga

Neuza Maria Engroff de Ávila - São Luiz Gonzaga

Sandra Mara da Silva Mora Rodrigues - Bento Gonçalves

Sandra Mara Tomasini Josende - Bento Gonçalves

 

 

 

 

Atividade Integradora- Turmas 2, 3, 4, 5 e 6

Atividade de Integração dos PROAS 01, 02 e 10 para as Turmas 2

 

 

Colegas Neuza e Eloísa:

 

Para este trabalho integrado, abrimos nova página no wiki, com o objetivo de iniciarmos a discussão proposta no PROA 10. Apresentamos o trabalho que fizemos, nos reunindo em grupo presencial.

 

Abraços,

 

Sandra Rodrigues e Sandra Josende

 

 

NOSSA PROPOSTA:

 

QUESTÕES DO PROJETO

1 Como os familiares devem proceder com pessoas portadoras da doença de Parkinson?

2.Por que a depressão e o stress são as doenças do milênio?

3.O que causa a ansiedade?

4.Como o estresse se manifesta?

 

Ação A

 

Análise da última versão do mapa conceitual (versão 2 ou 3), tendo em vista a questão norteadora, as certezas e as dúvidas.

Perguntas orientadoras da análise

1- A relação está feita entre 2 conceitos?

 

Sim, a relação é realizada reunindo dois conceitos, ligados por um verbo.

 

2- Ao lermos os conceitos, sempre 2 a 2, encontramos uma proposição compreensível?

 

As proposições são compreensíveis para o leitor existindo relação entre os termos.

 

3- Os conceitos estão ligados por verbos?

 

Os conceitos ligam-se por verbos dando sentido a relação entre eles.

 

4- Há uma flecha que indica o sentido da relação?

 

As flechas estão indicando caminhos que às vezes podem haver sentidos diversos, ou que se relacionam com mais de um conceito.

 

5- Os conceitos fundamentais do PA estão presentes no mapa?

 

Os conceitos fundamentais do PA estão presentes em parte no mapa, percebemos que faltam relações referentes às questões nº 1 e 2 das questões do projeto.

 

6- As relações feitas no mapa abarcam todo o conteúdo do PA?

 

As relações do mapa não abarcam todo o conteúdo do PA. O nosso trabalho ficou muito grande, pois foram criadas 42 Dúvidas Temporárias e 25 Certezas Provisórias, por isso foram apresentadas as questões mais importantes.

 

7- O mapa pode ser considerado a expressão da rede conceitual que vocês construiram no PA?

 

Deveria ser acrescentado os conceitos referentes as questões principais para serem considerados expressão da rede conceitual do PA.

 

8- Pelo mapa conceitual você chega na resposta da questão inicial, das dúvidas e da confirmação ou não das certezas?

 

As respostas da questão inicial estão respondidas em parte no mapa conceitual e as dúvidas e certezas mais significativas estão respondidas.

 

 

Ação B

 

Ao analisarmos o mapa conceitual, na sua última versão percebemos que houve um crescimento muito grande desde o início do PA. Pensamos que alguns termos poderiam ser agregados para ficarem mais amplos.

 

 

Ação C

 

Já apresentamos nossa proposta quanto a realização do mapa e aguardamos os comentários.

 

 

Ação D

 

 

 

 

Comentários do Mapa

 

Os Distúrbios Emocionais e Neurológicos afetam a qualidade de vida e o sistema nervoso, desenvolvem doenças físicas psíquicas e mentais, tem origem por causas conhecidas e desconhecidas, por fatores internos e externos.

 

Os Distúrbios Emocionais desenvolvem doenças físicas, psíquicas e mentais que são consideradas doenças do milênio, precisam de diagnóstico para prescrever o tratamento e os medicamentos.

 

As Doenças do Milênio têm sintomas que são confundidos com a Doença de Parkinson que compromete o Sistema Nervoso Central Motor.

 

A Doença de Parkinson causa profundo sofrimento ao portador e aos familiares que necessitam de apoio de equipes médicas. A Doença de Parkinson , tem sintomas confundidos com as doenças do milênio que são o Estresse, a Depressão e a Ansiedade, provocadas pelo estilo de vida atual.

 

Se o estilo atual de vida provoca estresse, ansiedade e depressão que são as doenças do milênio, com sintomas confundidos com a Doença de Parkinson e consideradas doenças físicas, psíquicas e mentais, precisam de Diagnóstico para prescrever tratamento e medicamentos.

 

Desta forma respondemos as questões iniciais:

 

1 Como os familiares devem proceder com pessoas portadoras da doença de Parkinson?

2.Por que a depressão e o stress são as doenças do milênio?

3.O que causa a ansiedade?

4.Como o estresse se manifesta?

 

E a maior parte das certezas e dúvidas do projeto.

 

 

ATIVIDADE INTEGRADA – PROAS 1, 2 e 10

Colegas!!!

Viram que modifiquei o nome da atividade? Acredito que assim fica melhor, por que envolve os PROAs 1, 2 e 10. Realizei esta tarefa de maneira diferente: fiz uma análise em forma de texto, tentando responder os questionamentos. Vou publicar, mas digo de antemão, que temos pensamentos diferentes acerca do nosso mapa conceitual. Penso que, quanto a nova versão do mapa, precisamos discutir juntos, para analisar a necessidade de mudanças.

Um abraço

Neuza

 

ANÁLISE

O mapa conceitual é uma ferramenta para organizar e representar o conhecimento. Usando o Cmap, construímos o mapa conceitual do nosso PA, de modo que os conceitos aparecem dentro de caixas enquanto que as relações entre os conceitos são especificadas através de frases de ligação nos arcos que os unem. Procuramos construir o mapa de tal forma que as relações entre os conceitos ficassem evidentes. Fizemos três versões, procurando sempre escolher as melhores relações que sabíamos entre os conceitos, para, então, considera-lo bom sobre o assunto escolhido.

Observando a última versão do mapa conceitual do nosso PA, temos sempre a relação entre dois conceitos, ligados por um verbo e com as flechas indicando o sentido da relação. Se acompanharmos a indicação das setas, podemos perceber que elas explicam a questão inicial, pois os fatores externos que provocam os distúrbios emocionais estão ligados à sobrecarga da vida moderna; respondem as dúvidas temporárias e confirmam as certezas provisórias. Inicialmente, tínhamos repetido muitos verbos; depois conseguimos mudar, colocando outros no lugar. Acredito que conseguimos deixar o mapa compreensível de acordo com o que desenvolvemos no PA, pois seguindo as setas, ficou claro que os distúrbios emocionais e neurológicos, que são causados por fatores internos e externos, levam à ansiedade, esta ao stress e á depressão, provocando um desequilíbrio mental e físico, o qual atinge os relacionamentos familiares e sociais, que necessita de tratamento para proporcionar uma qualidade de vida.

Os conceitos fundamentais do PA estão presentes no mapa. Todas as relações feitas no mapa conceitual abarcam todo o conteúdo do PA. Considero o mapa, a expressão da rede conceitual construída no PA.

Poderíamos, quem sabe, acrescentar algum conceito no mapa conceitual, relacionado a questão inicial, para deixar bem claro que a agitação da vida moderna é um fator responsável pelos distúrbios emocionais, e que é muito difícil manter-se equilibrado num mundo cada vez mais desequilibrado.

Se formos comparar a primeira, segunda e terceira versão do nosso mapa conceitual, podemos perceber que houve uma grande evolução, acrescentando, retirando e modificando conceitos e verbos de ligação. Isto mostra que, na medida, que a pesquisa foi acontecendo, nossas idéias foram ampliando. Isto também aconteceu com dúvidas temporárias e as certezas provisórias, que foram se modificando e comprovando no decorrer da pesquisa.

A grande questão é que, por melhor que esteja nosso mapa, acompanhando a sua evolução, parece que sempre está inacabado, que pode ser melhor, que podemos modificar, acrescentar ou retirar conceitos e verbos de ligação. Acredito que é por aí, por que se formos aprofundar a pesquisa, automaticamente o mapa irá se modificar. Vamos aguardar a análise da Eloísa,para depois iniciármos as discussões, que poderão ser feitas nos comentários desta página.

 

ATIVIDADE INTEGRADA – PROAS 1, 2 e 10

 

 

ANÁLISE -Eloisa

Através dosmapas conceituais os alunos reconstroem os conceitos previamente adquiridos, dando lugar a uma aprendizagem significativa.Desta maneira, o mapa conceitual é uma eficiente ferramenta, pois possibilita observar a estrutura mental dos alunos e é fácil observar sua evolução ou suas dificuldades na execução dos projetos de aprendizagem.

A análise do mapa conceitual do nosso projeto de aprendizagem “Distúrbios Emocionais e Neurológico” evidencia 23 conceitos fundamentais. Percebemos que os mesmos não estão isolados e nem desarticulados, mas conectados entre si, por um verbo, sendo que a direção das setas estabelece uma integração entre os vários conceitos, efetivando assim, uma rede conceitual que permite verificar o intercâmbio entre as quatro questões básicas do nosso PA:

-Como os familiares devem proceder com pessoas portadoras da Doença de Parkinson(DP)?

-Por que a depressão e o stress são as doenças do milênio?

-O que causa a ansiedade?

-Como o stress se manifesta?

 

Ressaltando assim, o nosso objetivo maior, que é a busca por subsídios com o intuito de solucionar nossas dúvidas temporárias e obter maior número de informações que comprovem ou não as nossas certezas provisórias, para que possamos projetar novas situações de aprendizagem e no convívio familiar, articulando novas maneiras para obtermos uma melhor qualidade de vida.

 

Frente a estas constatações, observamos uma crescente e coerente abordagem dos conceitos existentes na investigação, no aprofundamento teórico e na constatação das nossas certezas provisórias, bem como nos conceitos relacionados as nossas dúvidas temporárias. Assim consideramos que o nosso mapa conceitual contempla todos os conceitos adquiridos durante a realização do nosso projeto de aprendizagem, tornando com certeza nossa aprendizagem significativa.

 

Os meus comentários estão no espaço Comentários.Eloisa

 

Colegas.Tentei colocar os meus comentários no espaço comentários, mas tem limite de de caracteres e o meu comentário é muito grande.Portanto vou colocar aqui nesta página mesmo.

 

Concordo com a colega Neuza, quando ela comenta em sua análise

“Poderíamos, quem sabe, acrescentar algum conceito no mapa conceitual, relacionado a questão inicial, para deixar bem claro que a agitação da vida moderna é um fator responsável pelos distúrbios emocionais, e que é muito difícil manter-se equilibrado num mundo cada vez mais desequilibrado.

 

Também concordo com as colegas: Sandra Josende e Sandra Rodrigues. Com referência a agregar as doenças: Depressão, Stress, Ansiedade como Doenças do Milênio provocadas pelo estilo de vida atual.Como colocam no mapa conceitual que realizaram.

 

Concordo também em retirar um conceito do mapa que é. (Perda de Neurônios) e o verbo falta. Ficando a seta do Sistema Nervoso Central provoca PERDA da DOPAMINA gera DESIQUILIBRIO MENTAL E FÍSICO.

Também poderia sair do mapa os conceitos Auto-Ajuda e Psicoterapia, pois na minha opinião o conceito TRATAMENTO já engloba esses dois conceitos. Ou poderia aparecer o conceito TERAPIA. Ficando assim TRATAMENTO requer MEDICAMENTOS e TERAPIAS

 

 

__Peço desculpa para as colegas, quem sabe eu não interpretei direito o mapa conceitual que vocês realizaram, mas não posso concordar com a colocação das colegas quanto.__

“A Doença de Parkinson causa profundo sofrimento ao portador e aos familiares que necessitam de apoio de equipes médicas. A Doença de Parkinson , tem sintomas confundidos com as doenças do milênio que são o Estresse, a Depressão e a Ansiedade, provocadas pelo estilo de vida atual.”

“Se o estilo atual de vida provoca estresse, ansiedade e depressão que são as doenças do milênio, com sintomas confundidos com a Doença de Parkinson e consideradas doenças físicas, psíquicas e mentais, precisam de Diagnóstico para prescrever tratamento e medicamentos.

 

Com os sintomas podem ser confundidos?Tanto no trabalho de pesquisa, quanto no meu trabalho de conclusão coloco: “Indiscutivelmente é através da família que se tem à oportunidade de desenvolver a afetividade, o aconchego, a proximidade das relações humanas. É também um lugar de conflitos, de aprendizagem, de reconheci mento de erros e de reconciliação. É a partir de uma convivência familiar harmoniosa e afetuosa que o idoso, portador da doença de Parkinson reforça sua auto-estima para enfrentar os problemas de ordem física e emocional decorrente dos sintomas da doença .

 

 

“Muito se tem discutido a respeito do papel da família e do cuidador no tratamento de portadores de doenças neurológicas, entre elas a Doença de Parkinson(DP). A Doença de Parkinson foi descrita de maneira bastante precisa em 1817,pelo médico inglês James Parkinson.Ele denominou a doença de Paralisia Agitante. Segundo Parkinson a enfermidade causava tremores involuntários, lentidão dos movimentos, rigidez muscular, distúrbios posturais, desequilíbrio, alterações na fala e na escrita do indivíduo, afetando ambos os sexos.”

 

“Sabe-se também que a Doença de Parkinson (DP) é neurológica, não contagiosa, é crônica, evolutiva e de caráter degenerativa que resulta de uma ação anômala dos neurônios, resultando na escassez da dopamina na região cerebral chamada substância nigra ou negra situada no mesenfálo. A dopamina é o principal neurotransmissor dos gânglios basais, ou seja, é um mensageiro químico entre os neurônios. Ele é essencial no controle, produção e ordenação dos movimentos. A deficiência da dopamina provoca manifestações motoras que identifica a Doença de Parkinson(DP). Sendo seus principais sinais: Bradicinesia, acinesia, a rigidez, o tremor e a instabilidade postural.”

 

 

O problemas de ordem física afetam tanto a pessoa que ela passa sofrer de depressão, stress.

 

Os movimentos involuntários tanto da mão, quanto do braço, ou até mesmo da cabeça só são abrandados com o uso do medicamento.E os próprios medicamentos causam efeitos colaterais. Os músculos ficam fatigados causando um desconforto enorme, assim o portador da doença de Parkinson tenta se esconder dos amigos, por vergonha. Muitos passam a ter a voz pressa com dificuldades de pronunciar as palavras e passam a conversar o mínimo necessário. O intestino preso também causa desconforto, os indivíduos passam a ficar mais irritados, ansiosos. Portanto passam apresentar os sintomas do stress, da depressão, ficam mais ansiosos.Por que realmente estão com depressão, apresentando além dos sintomas da doença de Parkinson os sintomas das doenças do Milênio. Mas não significa que estes sintomas da Doença de Parkinson sejam confundidos com os sintomas das Doenças do Milênio.Pois os sintomas da doença de Parkinson são físicos, neurológicos, degenerativos.

 

Colegas. Fiquei preocupada, será que o meu trabalho não ficou bem claro? Eloisa. Aguardo vocês.

 

 

 

 

Colega Eloísa:

 

Seu trabalho ficou ótimo, muito claro e dentro das questões propostas. Somente não encontramos a resposta ao questionamento -Como os familiares devem proceder com pessoas portadoras da Doença de Parkinson(DP)? e procuramos responder da melhor forma possível.

O profundo sofrimento que nos referimos é relativo ao desgaste das pessoas que acompanham quem está apresentando sintomas de estresse, depressão, ansiedade, ou qualquer doença, no caso a doença de parkinson, é lógico que a família vai desenvolver afetividade em relação ao paciente, mais do que faria normalmente, desdobrando-se em cuidados e atenção, por isso precisa de acompanhamento para saber a melhor forma de agir, sem prejuízos à sua qualidade de vida e da pessoa que lhe é querida. Os familiares sofrem, sim, principalmente porque não sabem como aliviar a dor das pessoas próximas, ou seja, não suportamos o sofrimento do outro.

Li em algum momento, que a doença de parkinson,no seu início, tem sintomatologia parecida com as doenças do milênio, o que muitas vezes pode confundir o diagnóstico e retardar o tratamento.Inclusive, a cunhada de nossa colega têm a mesma doença e retardou o tratamento devido a diagnósticos confusos.

Sempre será o médico que irá diagnosticar os sintomas identificando a patologia a que pertence e prescrever o tratamento. É lógico que em estado mais avançado, nenhuma dela pode ser confundida.

Colegas, continuamos nossa conversa...

 

Abraços,

 

Sandra Josende

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

voltar ao início da página

 

página inicial

Comments (23)

Anonymous said

at 1:28 am on Nov 27, 2006

Concordo com a colega Neuza, quando ela comenta em sua análise
“Poderíamos, quem sabe, acrescentar algum conceito no mapa conceitual, relacionado a questão inicial, para deixar bem claro que a agitação da vida moderna é um fator responsável pelos distúrbios emocionais, e que é muito difícil manter-se equilibrado num mundo cada vez mais desequilibrado.

Também concordo com as colegas: Sandra Josende e Sandra Rodrigues. Com referência a agregar as doenças: Depressão, Stress, Ansiedade como Doenças do Milênio provocadas pelo estilo de vida atual.
Como colocam no mapa conceitual que realizaram.
Concordo também em retirar um conceito do mapa que é. (Perda de Neurônios) e o verbo falta. Ficando a seta do Sistema Nervoso Central provoca PERDA da DOPAMINA gera DESIQUILIBRIO MENTAL E FÍSICO.
Também poderia sair do mapa os conceitos Auto-Ajuda e Psicoterapia, pois na minha opinião o conceito TRATAMENTO já engloba esses dois conceitos. Ou poderia aparecer o conceito TERAPIA. Ficando assim TRATAMENTO requer MEDICAMENTOS e TERAPIAS
Peço desculpa para as colegas, quem sabe eu não interpretei direito o mapa conceitual que vocês realizaram, mas não posso concordar com a colocação das colegas quanto. “A Doença de Parkinson causa profundo sofrimento ao portador e aos familiares que necessitam de apoio de equipes médicas. A Doença de Parkinson , tem sintomas confundidos com as doenças do milênio que são o Estresse, a Depressão e a Ansiedade, provocadas pelo estilo de vida atual.”

“Se o estilo atual de vida provoca estresse, ansiedade e depressão que são as doenças do milênio, com sintomas confundidos com a Doença de Parkinson e consideradas doenças físicas, psíquicas e mentais, precisam de Diagnóstico para prescrever tratamento e medicamentos.

Anonymous said

at 1:42 am on Nov 27, 2006

Coloquei o meu comentário lá na página da análise, pois aqui ficou um texto enorme. Eloisa

Anonymous said

at 4:02 pm on Nov 27, 2006

Desculpe Eloísa, mas não concordo em retirar a auto-ajuda e psicoterapia do mapa, pois considero conceitos fundamentais, pois na minha pesquisa falo muito sobre isso e cada uma delas tem influência diferentes no tratamento da doença da depressão.
Sandras! Desculpem, mas não concordo em refazer todo o mapa novamente; no meu ponto de vista o nosso mapa está ótimo. Apenas faríamos a modificação sugerida pela Eloísa quanto a perda da dopamina e outro relacionando o stress, a ansiedade e a depressão com a agitação da vida moderna.
Me retornem
Neuza

Anonymous said

at 4:53 pm on Nov 27, 2006

Oi gurias,descupem se fomos mal interpretadas, em momento algum pedimos que o mapa fosse refeito, somente apresentamos a nossa opinião de acordo com a atividade do PROA 10, o mapa apresentado foi apenas uma sugestão onde respondemos as questões que ao nosso ver estavam incompletas.
Agregamos alguns termos e omitimos outros para facilitar a leitura do mesmo de maneira clara, por qualquer pessoa que não seja do grupo, sem que seja necessário ler todo o trabalho.
Outra sugestão, quem sabe, unirmos os termos auto-ajuda e psicoterapia com "apoio de equipes médicas".
Um abraço e continuamos o debate.
Sandra M.Rodrigues

Anonymous said

at 5:42 pm on Nov 27, 2006

Colegas! A minha interpretação de como os famíliares devem proceder com o portador da doença de Parkinson, foi contemplada na página do trabalho.Os familiares devem proceder com carinho com atenção com solidariedade.A família não deve tomar as atitudes de médico,mas estar sempre atenta as atitudes das pessoas doentes.Na conclusão também coloquei as questões relacionadas a relação famíliaX doente.

Anonymous said

at 5:58 pm on Nov 27, 2006

A relação doente X equipe multidisciplinar também está relacionada como a família deve proceder.
Essa questão do meu trabalho foi a última questão a ser realizada, pois achei que deveria primeiro construir o conhecimento a respeito de todo o assunto sobre a Doença de Parkinson, para depois responder a questão principal do trabalho. No trabalho existe links para sites sobre as leis de proteção ao idoso.
Colegas. Estou colocando estes itens para esclarecer que considero respondida a questão principal do meu PA. Mas aceito novas sugestões dos colegas para reorganizar a questão principal do meu PA, pois sendo um trabalho em conjunto, colaborativo, cooperativo entre nós colegas do curso necessito das colaborações dos colegas. Eloisa

Anonymous said

at 4:22 pm on Nov 28, 2006

Questiono as colegas do grupo. Olhando o mapa conceitual vocês consideram que a questão principal do meu trabalho foi respondida ou falta algo para que isso aconteça?
Eloisa

Anonymous said

at 6:36 pm on Nov 28, 2006

Olha caras colegas! Continuo achando que nosso mapa está bom, nossas questões respondidas, faltando apenas fazer as alterações que sugeri acima.
Um abraço
Neuza

Anonymous said

at 11:00 pm on Nov 28, 2006

Colegas: percebi que a questão dos familiares agora está presente no mapa. Concordo que não seria necessário especificar termos como a dopamina, porque outros importantes também não entraram no questionamento.

Anonymous said

at 11:02 pm on Nov 28, 2006

Colegas:
Todas as questões estão presentes no trabalho. Algumas não estavam contempladas no mapa conceitual. O mapa está bom, mas precisa de algumas alterações.

Continuamos o debate

Sandra Josende

Anonymous said

at 11:06 pm on Nov 28, 2006

Colegas:

As doenças do milênio, estresse, ansiedade e depressão somente tem causas conhecidas?

Abraços

Sandra Josende

Anonymous said

at 11:12 pm on Nov 28, 2006

2.Por que a depressão e o stress são as doenças do milênio?

A resposta não deveria estar no mapa?

Abraços

Sandra Josende

Anonymous said

at 11:35 pm on Nov 28, 2006

Oi gurias!
Eloisa, também achei que o nosso trabalho no todo ficou completo e foram respondidas todas as questões, somente no mapa é que para mim não tinha ficado claro.Quanto a dopamina também achei que não era necessário aparecer no mapa.Vejam esta é a minha opinião.
Sandra M. Rodrigues

Anonymous said

at 11:04 am on Nov 29, 2006

Sandra Josende! Por que a depressão e o stress são as doenças do milênio? Esta é a modificação que eu sugiro no mapa. Leia novamente minha análise e veja que é sobre isso que me refiro. Vamos acrescentar...
Neuza

Anonymous said

at 3:32 pm on Nov 29, 2006

Colegas!! Pergunto prá Neuza. Você realiza no mapa as modificações necessárias? Na minha opinião você coloca a questão sobre a doença do milênio e faz aquela modificação referente a dopamina na qual eu já havia comententado.Eloisa

Anonymous said

at 10:40 am on Nov 30, 2006

Olá colegas! Sem problema, Eloísa! Faço as duas modificações no mapa e publico a quarta versão. Onde publico? Aqui nesta página ou junto com as outras tr~es versões? O que acham? Eu acho que deve ser junto com as outras versões. Aguardo...
Neuza

Anonymous said

at 3:35 pm on Nov 30, 2006

Também concordo junto com as outras versões. Mas pergunto ainda. Devemos realizar um texto ou seja um hipertexto conforme comunicado Atividade de integração dos Proas-"
Nesse ponto do desenvolvimento do projeto, as informações e os dados coletados e analisados estarão reunidos e organizados pelo grupo em uma forma hipertextual, caracterizando um documento de autoria coletiva que apresenta e comunica o conhecimento construído pelos integrantes do PA.
Eu estou rascunhando um hipertexto. Eloisa

Anonymous said

at 5:47 pm on Dec 1, 2006

Eu acredito que apenas um pequeno comentário, tendo em vista que na atividade integrada constam as modificações que faremos no mapa. Não acham? Pois o comentário da Aline e da Fernanda está ótimo.
Neuza

Anonymous said

at 9:03 pm on Dec 2, 2006

Colegas:

Gostei da idéia da colega Eloísa, poderíamos apresentar um hipertexto, como foi realizado em todas as etapas em que houveram alterações no mapa conceitual.Gostei da avaliação das professoras Aline e Fernanda. Estamos de parabéns. Quanto a esta versão do mapa também concordo que seja publicada juntamente com as outras versões.Sandra Josende

Anonymous said

at 11:09 pm on Dec 2, 2006

Olá colegas! não conseguia acessar o nosso trabalho.Li os comentários que a Fernanda e a Aline fizeram e que bom que gostaram.Quanto a nova versão do mapa acredito que deva ficar junto com os outros.
Sandra M. Rodrigues

Anonymous said

at 12:30 am on Dec 4, 2006

Colegas!! A Neuza refez o mapa conceitual com as devidas alterações.Mas ficou faltando algumas setas ou seja ficou faltando a direção das setas.Em conversa com ela eu tentei arrumar, mas o servidor da UFRGS onde está o mapa conceitual não aceitou a minha id e nem a minha senha. Por esse motivo eu salvei o mapa conceitual versão 4 no meu micro exportei como figura e publiquei no Wiki.Passando 51 segundo do dia 3.Mas a Neuza deve voltar no servidor e arrumar o mapa lá, pois ele não salvou com as alterações que eu realizei, pois não aceitou a minha id e nem a minha senha.Um abraço Eloisa

Anonymous said

at 4:43 pm on Dec 5, 2006

Olá meninas! Refiz novamente o mapa conceitual, coloquei as flechas que faltavam e mudei de cor. Gostaram? Também fiz alguns comentários. Leiam e analisem.
Neuza

Anonymous said

at 7:29 am on Dec 6, 2006

Colegas!

Adorei a cor do mapa! A visualização ficou mais fácil.Tenho apenas uma sugestão: no meu trabalho pesquisei que o estresse não é sempre resultante da ansiedade, pode ser consequência dela e também pode surgir da depressão. Familiares de pessoas com doenças do milênio também pode desenvolver estresse.O que vocês acham?
Abraços,

Sandra Josende

You don't have permission to comment on this page.